Disque Denúncia Procurados

Buscar procurado

Maninho do Posto
Denilson Silva Pessanha

  • 1 - Receptação Qualificada (Art. 180, §§ - Cp), § 1º do CP; 56, caput da Lei 9605/97 E Uso de documento falso (Art. 304 - CP), caput C/C Falsificação de documento particular (Art. 298 - CP), caput, ambos do CP N/F Concurso Material (Art. 69 - Cp)
    2 - Crimes Contra a Ordem Econômica (Art. 1º - Lei 8.176/91)
    3 - Crimes de Tortura (Art. 1º - Lei 9.455/97), a
    4 -
  • Duque de Caxias - RJ
  • 05/10/1972
  • Nº (I.F.P.) 103.355.343
  • Duque de Caxias - RJ
  • Procurado

Histórico

Denílson Silva Pessanha, conhecido como Maninho do Posto, é um homem ambicioso e agressivo e, como dono de postos de gasolina no Rio de Janeiro, resolveu sugar o sangue da maior companhia de petróleo do Brasil.

A máfia liderada por Maninho é considerada responsável pelo roubo de milhões de litros de petróleo cru da petroleira, além do refino e posterior venda ilegal do combustível. Um negócio articulado e milionário, com ramificações em São Paulo e Minas Gerais. Só em 2016, a Petrobras reconhece um prejuízo de 33,4 milhões de reais pelo roubo de 14 milhões de litros de combustível, uma prática, concentrada na Baixada Fluminense ?por onde corre uma boa parte dos 6.000 quilômetros de dutos da companhia? na qual Maninho era o rei.

As investigações apontam que a quadrilha desviava gasolina, etanol, diesel, nafta ou o petróleo bruto. O grupo manteria uma refinaria clandestina para processar o óleo cru em Cosmópolis (SP), que fica na região da Campinas.

De acordo com a denúncia, a quadrilha atuou para furtar os combustíveis, eles usavam a técnica da trepanação, que consiste na instalação de uma derivação clandestina na tubulação perfurada. O grupo instalou desvios em Duque de Caxias, Magé, Nova Iguaçu e próximo ao Arco Metropolitano, rodovia que corta a região metropolitana do Rio.

Conforme a denúncia do MP-RJ, Maninho era responsável pela perfuração dos dutos e pelo envio do produto para outros Estados, inclusive com a emissão de notas fiscais fraudulentas. Roniery de Oliveira Alves, braço direito de Maninho, cuidava das rotas dos caminhos e conduzia os motoristas até os locais de perfuração, enquanto Adenir de Carvalho fornecia os caminhões e Sularman de Oliveira era responsável pela trepanação.

Desde junho de 2015, a Polícia Civil do Rio e o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime do MP estadual (Gaeco) acompanham os passos de Maninho, ex-vereador de Duque de Caxias que tentou se reeleger pelo PDT no ano passado apesar de seus processos pendentes na Justiça por tentativa de homicídio, tortura, estelionato, agressão e ameaça.

Até hoje Maninho, ele está foragido. A quadrilha alugava terrenos estratégicos por onde os dutos passavam e aproveitava a escuridão da noite para entrar com caminhões-cisterna e homens armados. Os criminosos puxavam uma mangueira preta escondida na vegetação e enchiam o tanque de combustível até o amanhecer. Dependendo da natureza do insumo, o enviavam a uma refinaria ilegal em São Paulo ou Minas, no caso do petróleo cru (90% dos casos), ou diretamente a postos de gasolina, quando tratava-se de diesel, etanol, gasolina ou nafta.

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização do foragido da Justiça, favor denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp do Portal dos Procurados (21) 98849-6099; pelo facebook/(inbox), endereço: https://www.facebook.com/procurados.org/, pelo mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, ou pelo Aplicativo para celular do Disque Denuncia.

Mandados

Origem Processo expedição
Comarca da Capital 3ª Vara Criminal Central de Assessoramento Criminal - Cac Nº do Mandado de Prisão: 0012445-89.2017.8.19.0021.01.0003-25/Espécie de prisão: Preventiva Data de expedição: 09/03/2017
Comarca de Duque de Caxias 2ª Vara Criminal Cartório da 2ª Vara Criminal 0044407-38.2014.8.19.0021/Espécie de prisão: Preventiva Data de expedição: 06/04/2017
Comarca de Duque de Caxias 2ª Vara Criminal Nº do Mandado de Prisão: 0003324-83.2017.8.19.0038.01.0001-23/Espécie de prisão: Preventiva Data de expedição: 03/05/2017
Comarca de Magé - Regional de Inhomirim Vara Criminal Nº do Mandado de Prisão: 0012109-20.2017.8.19.0075.01.0001-14/Espécie de prisão: Preventiva Data de expedição: 26/12/2017