Disque Denúncia Procurados

Buscar procurado

Cinquenta do Morro dos Macacos
Leandro Baptista Santana

  • 1 - Homicídio Qualificado (Art. 121, § 2º - CP), VII; Crime Tentado; Posse Ou Porte Ilegal de Arma de Fogo de Uso Restrito e Outros (Art. 16 - Lei 10.826/03); Concurso Material (Art. 69 - Cp)
    2 - Homicídio Qualificado (Art. 121, § 2º - CP), INC VII; Crime Tentado
    3 - Homicídio Qualificado (Art. 121, § 2º - CP), INC V e VII; Crime Tentado; Associação para a Produção e Tráfico e Condutas Afins (Art. 35 - Lei 11.343/06)
    4 - Roubo Majorado (Art. 157, § 2º - CP), II E V; §2º-A, I E Corrupção de Menores - Eca (Lei 8.069/90 - Art. 244 B); Concurso Material (Art. 69 - Cp)
    5 - Tráfico de Drogas e Condutas Afins (Art. 33 - Lei 11.343/06); Associação para a Produção e Tráfico e Condutas Afins (Art. 35 - Lei 11.343/06) C/C Aumento de Pena Por Tráfico Ilícito de Drogas (Art. 40 - Lei 11.343/2006)
    6 - Homicídio Qualificado (Art. 121, § 2º - CP), V e VII (7 vezes) N/F Concurso Material (Art. 69 - Cp) E Crime Tentado
  • TCP - Terceiro Comando Puro
  • Integrante do Tráfico de Drogas
  • Morro dos Macacos - Vila Isabel - RJ
  • 03/12/1990
  • Nº (I.F.P.) 217.092.600
  • Rio de Janeiro - RJ
  • Procurado

Histórico

Leandro Baptista Santana, também conhecido pelos vulgos de Purão ou Zinho é ligado a facção Terceiro Comando Puto ? TCP ? e faz parte do tráfico de drogas que age no Morro dos Macacos, em Vila Isabel, Zona Norte do Rio do Janeiro.

Segundo vários processos na Justiça, ele já teria tentado contra a vida de vários policiais militares, que estão baseados na Unidade de Policia Pacificadora ? UPP/Macacos.

No dia 09 de maio de 2017, segundo processo nº 0163817-48.2017.8.19.0001.01.0001-07, policiais militares realizavam patrulhamento na Rua Senador Nabuco, quando foram surpreendidos por disparos de arma de fogo a curta distância (150 metros), efetuado pelo denunciado e por indivíduos não identificados, não tendo se consumado o delito em virtude de os policiais terem conseguido se abrigar. Consta dos autos que o denunciado assim agiu para assegurar a impunidade dos crimes que habitualmente pratica, uma vez que efetuou os disparos quando percebeu que poderia ser flagrado na prática do crime de tráfico de entorpecentes e porte ilegal de arma de fogo.

De acordo com a denúncia no processo nº 0238331-35.2018.8.19.0001.01.0001-15, no dia 07/04/2018, por volta das 16h, no Morro dos Macacos, o Réu, em comunhão de ações e desígnios com elementos ainda não identificados, efetuou diversos disparos de arma de fogo na direção da guarnição formada por policiais militares. O crime de homicídio somente não se consumou por circunstâncias alheias à vontade do agente. Frise-se que, na ocasião dos fatos, o Acusado teria tentado contra a vida das Vítimas, no momento em que os militares buscavam coibir a realização de um baile Funk não autorizado na comunidade dos Morros dos Macacos. No momento em que o Réu e seus comparsas perceberam a chegada dos PMs, vários tiros foram disparados contra os policiais e, na ocasião, os militares puderam identificar a presença de LEANDRO, como um dos elementos responsáveis pelo ataque. Destaca, ainda, o péssimo histórico do Réu, ostentando 17 (dezessete) anotações criminais em sua FAC, pela prática de delitos de extrema gravidade, tais como homicídio, tráfico de drogas e roubo qualificado.

Também no dia 11/08/2018, processo nº 0004898-87.2019.8.19.0001.01.0001-03, por volta das 06h00min, no momento de troca de serviço, assumindo seu turno, no local conhecido como Terreirinho, na Comunidade do Macaco, aproximadamente 12 homens, todos armados de pistola e fuzil, dispararam arma de fogo contra a guarnição a 20 metros de distancia.

Leandro é acusado da suposta prática de dois crimes de homicídio duplamente qualificados tentados, crimes de natureza hedionda. Além disso, também imputou-se crime de associação para o tráfico. Segundo a inicial, o réu teria, no dia 18 de agosto de 2018, no interior da comunidade Morro dos Macacos, com uso de fuzis, efetuado disparos de arma de fogo contra os Policiais Militares que faziam patrulhamento no local, tudo para garantir a impunidade do crime de tráfico, já que, de acordo com a inicial, eles estariam associados ao Terceiro Comando Puro, na função de seguranças da associação criminosa.

As investigações revelaram também que os traficantes do Morro dos Macacos participam de uma guerra, que envolve a disputa do tráfico na Rocinha. Traficantes do Morro dos Macacos tentam ajudar o grupo do traficante Nem da Rocinha a retomar os pontos de venda de drogas da Rocinha. Ele está num presídio de segurança máxima em Rondônia. Mas, segundo investigadores, ele continua dando ordens para o bando, mesmo atrás das grades.

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização do criminoso, favor denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram Portal dos Procurados (21) 98849-6099; pelo facebook/(inbox), endereço: https://www.facebook.com/procurados.org/, pelo mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, ou pelo Aplicativo para celular - Disque Denúncia - . O Anonimato é garantido.


Mandados

Origem Processo expedição
Comarca da Capital/1ª Vara Criminal Processo No 0163817-48.2017.8.19.0001.01.0001-07/Prisão Preventiva Distribuído em 10/07/2017
Comarca da Capital/17ª Vara Criminal Processo No0254940-30.2017.8.19.0001/Prisão Preventiva Distribuído em 04/10/2017
Comarca da Capital/27ª Vara Criminal Processo No 0179137-07.2018.8.19.0001/Prisão Preventiva Distribuído em 10/08/2018
Comarca da Capital/4ª Vara Criminal Processo No0238331-35.2018.8.19.0001.01.0001-15/Prisão Preventiva Distribuído em 09/10/2018
Comarca da Capital/4ª Vara Criminal Processo No 0004898-87.2019.8.19.0001.01.0001-03/Prisão Preventiva Distribuído em 16/01/2019
Comarca da Capital/3ª Vara Criminal Processo No0007155-85.2019.8.19.0001.01.0002-07/Prisão Preventiva Distribuído em 13/02/2019