Compartilhe:


Facção Comando Vermelho
 

Comando Vermelho é o nome de uma organização criminosa que age no Rio de Janeiro. Foi criada em 1979 na prisão Cândido Mendes, na Ilha Grande,Rio de Janeiro, como um conjunto de presos comuns e presos políticos membros da Falange Vermelha, que lutaram contra a ditadura militar. Durante toda a década de 1990, o Comando Vermelho é uma das organizações criminosas mais poderosas do Rio de janeiro, mas atualmente, a maioria de seus líderes estão presos ou mortos.

O Comando Vermelho ainda controla vários pontos de drogas e comum em favelas e morros controladao pela facção encontrar ruas e muros pichados com as letras "CV". Os principais grupos rivais são  o (TCP) e (ADA) Amigos dos Amigos. O TCP surgiu a partir de luta por poder entre os líderes do CV em meados da década de 1980

.Entre os integrantes da facção que se tornaram notórios depois de suas prisões, estão Fernandinho Beira-Mar, Marcinho VP, e Elias Maluco.Uma das primeiras medidas do Comando Vermelho ou CVRL foi a instituição do “caixa comum” da organização, alimentado pelos proventos arrecadados pelas atividades criminosas daqueles que estavam em liberdade, o dízimo. O dinheiro assim arrecadado serviria não só para financiar novas tentativas de fuga, mas igualmente para amenizar as duras condições de vida dos presos, reforçando a autoridade e respeito do Comando Vermelho no seio da massa carcerária.

No início dos anos 80, os primeiros presos foragidos da Ilha Grande começaram a pôr em prática todos os ensinamentos que haviam adquirido ao longo dos anos de convivência com os presos políticos, organizando e praticando numerosos assaltos a instituições bancárias, algumas empresas e joalherias. Durante esse assalto, a quadrilha, comandada por José Jorge Saldanha, o Zé do Bigode, ocupa o número 313 da Rua Altinópolis, no dia 3 de Abril de 1981. Essa ocupação foi palco de uma sangrenta batalha entre as forças policiais e o líder do grupo. Durante longas horas, Zé do Bigode repeliu todas as ofensivas policiais, matando e ferindo vários policiais que tentavam capturá-lo. Encontrou-se em sua posse diversas armas e farta munição, o que lhe permitiu defender a sua posição ao longo de toda a noite, apesar do evidente desequilíbrio de forças envolvidas. Zé do Bigode acabaria morto, já de manhã. Ainda que os sucessos tenham sido relevantes, os assaltos a bancos são extremamente arriscados, pelo que, no final de 1982, muitos daqueles que haviam sido resgatados da Ilha Grande foram recapturados ou simplesmente mortos.