Compartilhe:


 
Compartilhe:
Olho de Vidro
Luis Carlos Nésse José
Natural:
Rio de Janeiro - RJ
Situação:
Morto
Crimes:
Tráfico de Drogas
Facção:
Comando Vermelho
Função:
Chefe do Tráfico de Drogas
Área de Atuação:
Favela da Mangueirinha - Duque de Caxias
Histórico:
Traficante fazia parte da lista do mais procurados da policia do Rio de Janeiro

Traficante é encontrado com informações passadas ao Disque-Denúncia

Um dos chefes do tráfico no Morro da Mangueirinha, em Caxias, na Baixada Fluminense, morreu neste domingo durante um confronto no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro. Luis Carlos Nesse José, conhecido como Olho de Vidro, era suspeito de ter comandado um ataque a veículos e estava no Alemão dando apoio aos traficantes do local. O criminoso chegou a trocar tiros com a polícia quando foi atingido. Luis Carlos foi socorrido no Hospital Getúlio Vargas, mas não resistiu aos ferimentos.
Histórico

Luis Carlos Nesse José, o Di Vidro, de 33 anos, tem causado pânico entre os condutores de Duque de Caxias. Ele e seu bando de ladrões de carros atuam há mais de dez anos, na cidade e nas vias de ligação aos municípios vizinhos da Baixada Fluminense. Investigações da 59ª DP (Duque de Caxias) apontam que, em Abril de 2010, Di Vidro comandou um bonde que teria roubado 20 veículos em um único fim de semana. A ficha criminal do bandido é extensa. Sua "carreira" começou com um roubo, no dia 17 de novembro de 1998. Contra ele há quatro mandados de prisão por roubo e um por homicídio, expedidos pela 4ª Vara Criminal de Duque de Caxias e pela 25ª Vara Criminal da Capital. O delegado titular da 59ª DP, pediu mais dois mandados por homicídio.— Foragido da Justiça - Di Vidro ou Dvd chegou a ficar na cadeia de 1998 a 2001 por roubo, com prisão decretada em processos julgados na 1ª e na 5ª Vara Criminal de Caxias, mas recebeu o direito de cumprir o resto da pena em regime semi-aberto e fugiu. Em um dos processos a que responde, o bandido é acusado, juntamente com outros dois homens, de ter matado e escondido o corpo de Igor de Moura Nunes. Anderson da Costa Rodrigues dos Santos, um de seus comparsas, foi preso e condenado a 21 anos de prisão. Atualmente, está em um hospital penal da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap). 'Cria' da Chatuba - Segundo a investigação, Luis Carlos Nesse é proveniente da Favela da Chatuba, na Penha, e centralizou as ações na Baixada para fugir das blitzes realizadas pela PM na Avenida Brasil. Quando não está na Vila Cruzeiro, se reveza entre esconderijos no Complexo da Mangueirinha, em Duque de Caxias.

(Atualizado em 24/01/2012)
1