Compartilhe:


FOTOS:
 
Compartilhe:
Levi da Alma
Levi da Cruz Rebello
Recompensa:
R$ 2 Mil
Nascimento:
06/08/1988
RG:
Não Informado
Natural:
São Gonçalo
Situação:
Capturado
Crimes:
Capturados

Matutos

Tráfico de Drogas Homicídios

Art. 33 da Lei 11.343/06 - Importar, Exportar (...) Drogas Sem Determinação Legal., C/C Art 35 mesma Lei c/c 16 § único inc.I Lei 10826/03 n/f Art 69 do CP/
Táfico de Drogas e Condutas Afins (Art. 33 - Lei 11.343/06), C/C Art 35 mesma Lei c/c 16 § único inc.I Lei 10826/03 n/f Art 69 do CP

Art. 121, § 2º, incisos I e IV do CP - Homicídio qualificado - mediante paga e à traição -
Homicídio Qualificado (Art. 121, § 2º - CP)
Facção:
A.D.A - Amigos dos Amigos
Função:
Chefe do Tráfico
Área de Atuação:
Complexo da Alma/São Gonçalo
Histórico:
Prisão realizada por 31º BPM -

Informações passadas ao Disque-Denúncia

- Policiais do 31º BPM (Recreio) prenderam, na noite desta segunda-feira, Levi da Cruz Rebello, o Levi da Alma, em um sítio no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste. Levi da Alma é acusado de chefiar o tráfico de drogas no Complexo da Alma, em São Gonçalo.

Os policiais chegaram ao local após receberem informações repassadas ao Disque-Denúncia (2253-1177)

Histórico:

Em São Gonçalo, um dos traficante mais procurado é Levi da Cruz Rebello, o Levi da Alma. Com duas passagens pela polícia, o traficante começou sua carreira no crime com apenas 14 anos. Hoje, com 23 anos, acumula quatro mandados de prisão – dois por homicídio, dois por tráfico de drogas.

A venda de crack vem em grande evolução em todas as comunidades de São Gonçalo, mas no Complexo da Alma, em Amendoeira, a comercialização da droga foi proibida pelo ‘dono’ da comunidade, Levi da Alma. Ele que está a frente do morro há cinco anos – também seria o responsável por ir, pessoalmente, à Colômbia e Venezuela a fim de escolher a melhor pasta base de cocaína para fornecer a Rocinha, na Zona Sul do Rio, onde costuma se esconder. A prisão de um de seus homens revelou que ele não aceita o crack na comunidade. O complexo estaria atravessando um bom período financeiro. A cocaína estaria vindo, há pelo menos dois anos, da Rocinha. A decisão de proibir a venda de crack seria para manter fiéis e vivos seus clientes. A movimentação financeira da venda de drogas no Morro da Alma, rende cerca de R$ 20 mil: 60% do faturamento é levado para Levi, na Rocinha.

Dono do Complexo da Alma e escondido na Rocinha, Levi ainda trabalha de matuto para o tráfico. Nos últimos dois anos, ele estaria atuando como como responsável por transportar a cocaína movimentada pela facção Amigo dos Amigos (ADA), a cada dois meses, Levi viaja para a Colômbia e Venezuela a fim de escolher a melhor pasta base da droga. No seu reduto, em São Gonçalo, ele costuma ir esporadicamente desde que teve seu mandado de prisão decretado, em abril de 2007, em um procedimento especial da Lei Antitóxicos (Lei 11.343/06).

Segundo informações ele teria participado do episódio onde traficantes da Rocinha, levaram terror aos moradores de São Conrado, em 2010, quando estes tiveram intensa troca de tiros com a policia. Ele teria ido participar da escolta ao chefe do tráfico da Rocinha, Antônio Bonfim Lopes, o Nem, e teria se envolvido no confronto também. Outro traficante que também teria participado um do confronto seria um de nome Clayton.

Processo nº:
0090929-24.2007.8.19.0004 (2007.004.090696-9)
Tipo do Movimento:
Publicação de Edital

EDITAL DE CITAÇÃO E NOTIFICAÇÃO (Com o prazo de 15 dias) O MM. Juiz de Direito, Dr.(a) Cristiane da Silva Brandão Lima - Juiz em Exercício do Cartório da 2ª Vara Criminal da Comarca de São Gonçalo, Estado do Rio de Janeiro, FAZ SABER que o Promotor de Justiça Titular deste juízo, denunciou o nacional Levi da Cruz Rebello - Nacionalidade Brasileira - Estado Civil: Solteiro - Data de Nascimento: 06/08/1988 Idade: 22 - acusado nos autos de nº 0090929-24.2007.8.19.0004 (2007.004.090696-9), oriundo do Inquérito, nº 225/07 de 14/06/2007, da 75ª Delegacia Policial, como incurso no(a) Procedimento Especial da Lei Antitóxicos - Criminal (Lei 11.343/06) - Art. 33 da Lei 11.343/06 - Importar, Exportar (...) Drogas Sem Determinação Legal., C/C Art 35 mesma Lei c/c 16 § único inc.I Lei 10826/03 n/f Art 69 do CP, . Como não tenha sido possível citá-lo(a) e nem notificá-lo(a) pessoalmente, por se encontrar em local incerto e não sabido, pelo presente edital, cita e notifica o(a) referido(a) acusado(a) para responder aos termos da ação penal, por escrito, no prazo de dez (10) dias onde poderá arguir preliminares e alegar tudo o que interessa à sua defesa, oferecer documentos e justificações, especificar as provas pretendidas e arrolar testemunhas. Não apresentada a resposta no prazo legal, ou se o(a) acusado(a) citado(a), não constituir defensor, o juiz nomeará defensor público para oferecê-la. O prazo começará a fluir a partir do comparecimento pessoal do acusado(a) ou do defensor constituído (art. 396, CPP). O processo seguirá sem a presença do(a) acusado(a) que citado(a), deixar de comparecer sem motivos justificados (art. 367 do CPP). E para que chegue ao conhecimento de todos e do referido acusado(a), foi expedido o presente edital. São Gonçalo, 18 de julho de 2011. Fonte: Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro
Processos Judiciais
ORIGEM
PROCESSO
EXPEDIÇÃO
4ª Vara Criminal/São Gonçalo
0080056-96.2006.8.19.0004
15/12/2006
4ª Vara Criminal/São Gonçalo
0080041-30.2006.8.19.0004
15/12/2006
2ª Vara Criminal/São Gonçalo
0090929-24.2007.8.19.0004
01/08/2007
1