Compartilhe:


FOTOS:
 
Compartilhe:
Polegar
Alexander Mendes da Silva
Recompensa:
R$ 2 Mil
Nascimento:
23/01/1974
RG:
nº - 106355159 - IFP
Natural:
Rio de Janeiro
Situação:
Capturado
Crimes:
Capturado

Facção:
Comando Vermelho
Função:
Chefe do Tráfico e um dos principais líderes do CV
Área de Atuação:
Mangueirinha, Mandela, Arará, Jacarezinho, Juramento
Histórico:
Prisão realizada por: Policia Federal do Rio de Janeiro

Um dos traficantes mais procurados do Rio de Janeiro foi preso nesta quarta-feira (19/10) na cidade Pedro Juan Caballero no Paraguai, pela Policia Federal. Polegar é considerado um dos quatro mais importantes chefes do tráfico do RJ que estava foragido, junto com FB, Matemático e Pezão. O acusado se escondia no Complexo do Alemão, mas durante operação de retomada do morro, em dezembro de 2010, ele conseguiu fugir.

Condenado a 22 anos por tráfico e associação para o tráfico, Polegar obteve o benefício para o regime aberto após cumprir um sexto da pena na Casa do Albergado Crispim Ventino, em Benfica, na Zona Norte da cidade. Ele deixou o presídio no dia 14 de setembro de 2009 pela porta da frente e não voltou mais.

O Disque-Denúncia (2253-1177) oferecia uma recompensa de R$ 2 mil por informações que levassem a sua prisão. Polegar comandou, em 2001, um ataque à Polinter que resultou na fuga de 14 presos.
Ele se refugiou no Alemão, onde recebeu do traficante Pezão vários pontos de drogas para comandar. Polegar era denunciado pelos crimes de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. Polegar foi condenado à prisão por quatro varas criminais por crimes cometidos entre 1994 e 2002.


Histórico:

Ex-chefe do tráfico do morro da Mangueira, Alexander Mendes da Silva, o Polegar ou Polegar da Mangueira, foi preso em Fortaleza – CE, pela extinta Delegacia de Repressão a Entorpecentes – DRE, como um dos traficantes mais perigosos do Rio, que era procurado pela polícia por ter comedido ações ousadas, entre elas, no ano de 2001, um ataque à Polinter, resultando na fuga de quatorze detentos.
Condenado a dezesseis anos de prisão por tráfico de drogas e associação para o tráfico, Polegar conseguiu a transferência para regime semiaberto, em agosto de 2009, graças ao benefício concedido pela 1ª Câmara Criminal, e no dia 12 de agosto de 2009, foi transferido para a Casa do Albergado Crispim Ventino, em Benfica. Às 5h05, do dia 14 de agosto de 2009, ele deixou o local acompanhado de seus advogados e seguiu para a Favela do Arará, tendo que retornar até às 22h para dormir, porém não mais retornou ao sistema prisional, tornando-se um foragido da Justiça.
Após a fuga, ele se refugiou no Complexo do Alemão, onde recebeu do traficante Pezão, vários pontos de drogas para comandar, onde o lucro seria revertido para si mesmo.
Recentemente, Polegar e outros sete laranjas foram denunciados pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, onde responderão à ação penal na 2ª Vara Criminal de Santa Cruz pelos crimes de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro proveniente do tráfico de drogas. A denúncia relata a forma com que Polegar agiu, a partir de 2003, para ocultar da Justiça o lucro obtido por ele na condição de chefe do tráfico no Morro da Mangueira. Condenado a prisão por quatro varas criminais por crimes cometidos entre 1994 e 2002, o criminoso, registrou imóveis e veículos em nome de pessoas sem antecedentes criminais, segundo o MP a ação revela absoluta discrepância entre a renda declarada ao Fisco e os bens dos réus, inclusive os bens em nome de Polegar não param de surgir.
A Justiça decretou a indisponibilidade de cinco imóveis do traficante, inclusive o tríplex na cidade de Cabo Frio. Corretores da região avaliaram o imóvel, que tem três suítes decoradas e salão, em cerca de R$ 400 mil. Os outros imóveis do traficante foram localizados no Leblon, na Barra da Tijuca, em Jacarepaguá e em Niterói.
Após o Complexo ter sido ocupado pelas forças policiais – UPP, Polegar estaria refugiado em diversas comunidades em que o Comando Vermelho domina. O Disque-Denúncia oferece recompensa de R$ 2 mil reais por informações que levem a sua captura.(Atualizado em 01/09/2011)
Processos Judiciais
ORIGEM
PROCESSO
EXPEDIÇÃO
VEP/RJ
0350081-67.2003.8.19.0001 (2003/00015-5)
2003
2ª Vara Criminal/Capital
0017351-33.2009.8.19.0206 (2009.206.017706-2)
24/09/2009
VEP/RJ
0336977-47.1999.8.19.0001 (1999/00423-6)
1999
VEP/RJ
0372873-44.2005.8.19.0001 (2005/08570-9
2005
VEP/RJ
0251804-21.2000.8.19.0001 (2000/03728-3)
2000
1