Compartilhe:



FOTOS:
 
Compartilhe:
Danúbia
Danúbia de Souza Rangel
Recompensa:
R$ 1 Mil
Nascimento:
12/09/1983
RG:
RG Nº. (I.F.P.) 205.409.626
Natural:
São João de Meriti - RJ
Situação:
Procurada
Crimes:
Tráfico de Drogas

1 - Associação para a Produção e Tráfico e Condutas Afins (Art. 35 - Lei 11.343/06); Tráfico de Drogas e Condutas Afins (Art. 33 - Lei 11.343/06); Aumento de Pena Por Tráfico Ilícito de Drogas (Art. 40 - Lei 11.343/2006), III e IV; Falsidade Ideológica (Art. 299 - Cp); Corrupção Ativa (Art. 333 - Cp); Concurso de Pessoas (Arts. 29 a 31 - Cp), 29; "Lavagem" Ou Ocultação de Bens, Direitos Ou Valores Oriundos de Corrupção (Art. 1º, V - Lei 9613/98), § 1º e § 4º; Colaborar C/ Grupo,organização,associação: Destinados À Produção/tráfico Drogas- L.11.343/06, Art.37; Quadrilha Ou Bando (Art. 288 - Cp), § único; Concurso Material (Art. 69 - Cp)

2 - Associação para a Produção e Tráfico e Condutas Afins (Art. 35 - Lei 11.343/06)
Facção:
Amigo dos Amigos - ADA
Função:
Distribui as ordens na Favela
Área de Atuação:
Favela da Rocinha - RJ
Histórico:
Danúbia de Souza Rangel é ligada à facção Amigo dos Amigos – ADA -, Mulher do traficante Nem da Rocinha, faz parte do tráfico de drogas que age na Favela da Rocinha.

Em março deste ano, após ser absolvida em um processo da 35ª Vara Criminal por associação ao tráfico de drogas, assim como o seu companheiro Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, Danúbia de Souza Rangel foi colocada em liberdade,
Na sentença, publicada Nem da Rocinha, preso desde 2011, e Danúbia, desde 2014, foram absolvidos por associação ao tráfico de drogas. A denúncia apontava que Nem ainda chefiava o tráfico mesmo estando preso em um presídio de segurança máxima no Mato Grosso do Sul, enquanto sua mulher estaria recebendo informações durante a visita traficante e repassando para os seus comparsas na comunidade.

Seis dias após sua absolvição, Danúbia foi condenada nesta a 28 anos de prisão pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico e corrupção ativa, mas já esta em liberdade. Sobre o crime de corrupção ativa, a magistrada sentencia que Danúbia pagava propina a policiais para que os agentes fornecessem informações sobre a movimentação dos PMs no interior da comunidade, o que facilitava o tráfico de drogas e evitava enfrentamentos com os traficantes.

De acordo com a sentença, Danúbia foi condenada pelo crime de associação para o tráfico por ter ocupado posição de liderança na facção criminosa que atuava na Favela da Rocinha em 2011. A ré repassava ordens do marido, Antônio Bonfim Lopes, conhecido como Nem, que cumpre pena em presídio federal.

“A facção criminosa destaca-se pela violência com a qual trata os próprios integrantes do grupo e a sociedade que vive na região, que permanece subjugada aos mandos e desmandos dos traficantes que patrulham a comunidade armados. Os resultados e consequências do delito são graves, eis que vários são os crimes cometidos pela organização criminosa que comanda a comunidade da Rocinha, pretendendo com a sua atuação criminosa se substituir ao Estado legalmente constituído, impondo suas regras de conduta através do medo, terror e crueldade. A Unidade de Polícia Pacificadora implantada na comunidade vem tendo dificuldades no patrulhamento devido à resistência do tráfico”, afirma a magistrada.

Sobre a condenação por tráfico de drogas, a juíza Renata Gil relata na sentença que a Polícia Militar enfrentava dificuldades no patrulhamento.

“A Unidade de Polícia Pacificadora implantada na comunidade vem tendo dificuldades no patrulhamento devido à resistência do tráfico. Ressalte-se ainda que, juntamente com os corréus “Nem” e “Rogério 157”, mantinha o comando sobre a venda de todo o material entorpecente na favela, tendo atuação ativa também na compra e distribuição da droga, funcionando a comunidade da Rocinha como importante entreposto de abastecimento da Zona Sul do Rio de Janeiro em função de sua posição estratégica na cidade”.

(Atualizada em 29/09/2016)
Processos Judiciais
ORIGEM
PROCESSO
EXPEDIÇÃO
Comarca da Capital/40ª Vara Criminal
0444255-48.2015.8.19.0001
04/02/2016
Comarca da Capital/40ª Vara Criminal
0442452-98.2013.8.19.0001
03/06/2014
1